26 de Julho de 2020 às 09h31

Ministro que liberou Queiroz da cadeia negou outros 700 pedidos sobre Covid-19

De acordo com levantamento do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), o ministro João Otávio de Noronha rejeitou 700 dos 725 pedidos de prisão domiciliar por conta da pandemia do coronavírus, revela o G1.

No dia 9 de julho, Noronha concedeu prisão domiciliar a Queiroz, sob a justificativa de que o ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) está em tratamento contra um câncer.

Na mesma decisão, o ministro Noronha ainda afirmou que a "higiene precária" das casas de detenção coloca em risco à saúde dos presos.

A companheira de Queiroz, Márcia Aguiar, que era considerada foragida pela Justiça, também recebeu o benefício da prisão domiciliar sob o argumento de que cabe à Márcia cuidar do marido que está doente.

Fonte: G1/Política