28 de Julho de 2020 às 20h49

Câmara proíbe que deputados usem dinheiro público para lucrar com vídeos no YouTube

A Mesa Diretora da Câmara proibiu nesta terça-feira (28) que deputados usem dinheiro da cota parlamentar para contratar serviços que gerem lucro na internet.

Se acordo com o Estadão, a medida foi tomada após o jornal divulgar uma lista de parlamentares que utilizavam-se de dinheiro público para administrar e produzir conteúdo para suas redes sociais, obtendo lucro com a monetização de vídeos no YouTube.

Nesta lista estão Carla Zambelli (PSL-SP), Joice Hasselmann (PSL-SP), Bia Kicis (PSL-DF), Otoni de Paula (PSC-RJ), Paulo Pimenta (PT-RS) e Flordelis (PSD-RJ), que contrataram empresas com dinheiro da cota parlamentar para  fazer edição e montagem dos vídeos apresentados em seus canais no YouTube.

“Não será objeto de reembolso despesa com a aquisição ou a contratação de serviços utilizados em benefício de contas em sites, redes sociais ou plataformas digitais que resultem em monetização, lucro, rendimento, patrocínio ou receita de qualquer espécie em favor do respectivo parlamentar ou de terceiros”, determina o ato da Mesa da Câmara.