05 de Agosto de 2020 às 09h36

Investigado por rachadinhas, Flávio Bolsonaro critica Lava Jato e defende Aras

Em entrevista para o jornal O Globo, pela primeira vez, Flávio Bolsonaro admitiu que seu ex-assessor Fabrício Queiroz pagava suas contas pessoais. De acordo com o senador, os depósitos para Queiroz serviam para contratar funcionários de maneira informal, algo que acontecia sem o seu conhecimento.

O filho do presidente defendeu a atuação do procurador-geral da República Augusto Aras e criticou o ex-ministro Sérgio Moro, a quem atribuiu a saída do governo por conta de desalinhamento ideológico.

O senador defendeu ainda a nomeação de indicados do Centrão para cargos na administração federal e também o aumento de gastos do governo, que seria possível após a criação de um novo imposto sobre pagamentos digitais, nos mesmos moldes da antiga CPMF.

Durante o debate na campanha presidencial, Bolsonaro afirmou que se fosse eleito não governaria distribuindo cargos para o Centrão. Pelo Twitter, o presidente negou por diversas vezes – antes e depois de eleito – qualquer intenção de retornar com a CPMF:


A íntegra da entrevista pode ser conferida neste link.

Fonte: O Globo