10 de Agosto de 2020 às 08h41

Após ser nomeado por Bolsonaro, Temer precisará de aval da Justiça para viajar para o Líbano

O ex-presidente Michel Temer (MDB) foi indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para chefiar a missão humanitária do Brasil no Líbano, para ajudar na reconstrução do país após as explosões que destruíram a zona portuária de Beirute.

Assim que a nomeação for publicada no Diário Oficial da União (DOU), Temer terá que pedir à Justiça autorização para viajar ao Líbano.

Em maio de 2019, quando foi liberado da segunda prisão, o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) proibiu Temer de manter contato com investigados, de se mudar ou deixar o país sem autorização da Justiça, entre outras medidas.

O ex-presidente é acusado de desvio de dinheiro em obras da usina nuclear Angra 3.