26 de Agosto de 2020 às 15h16

TCU estima R$ 42 bilhões em pagamentos indevidos no auxílio emergencial

Uma auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) estimou que os pagamentos indevidos do benefício do auxílio emergencial podem chegar a R$ 42 bilhões. O relatório deve ser votado nesta quarta-feira (26) pelo plenário do tribunal.

Dos R$ 42 bilhões pagos indevidamente, R$ 23 bilhões foram para 6,4 milhões de pessoas que estariam recebendo o benefício sem ter direito. O restante seriam de mães que receberam o benefício dobrado, de R$ 1,2 mil, após serem indevidamente cadastradas como chefes de domicílio.

Além dos pagamentos indevidos, a auditoria concluiu que o governo não fez estudos técnicos para basear a prorrogação de duas parcelas no valor de R$ 600 nos meses de julho e agosto.

Fonte: O Globo