17 de Outubro de 2020 às 09h10

PGR diz que não pode afirmar que dinheiro na cueca de senador é proveniente de crime

A Procuradoria-Geral da República (PGR) afirmou ao ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, que não é possível afirmar, neste momento, que os mais de R$ 33 mil encontrados na cueca do senador Chico Rodrigues (DEM-RR), ex-vice-líder do presidente  Bolsonaro, seriam provenientes dos crimes pelo qual é investigado.

De acordo com manifestação da Procuradoria-Geral da República “não é possível, por ora, afirmar que os valores momentaneamente ocultados pelo Senador efetivamente seriam provenientes dos crimes em suspeita, ou que guardariam relação com as atividades de Senador da República, a despeito da sua sustentabilidade como linha investigatória”.

A PGR afirma ainda que seriam necessárias novas apurações para descobrir a origem do dinheiro para se constatar eventual prática criminosa.