21 de Outubro de 2020 às 15h47

Voluntário da vacina de Oxford que morreu no Brasil recebeu placebo

O voluntário que participou da série de testes da vacina de Oxford, desenvolvida em parceria com a AstraZeneca e a Fiocruz, não recebeu a dose do imunizante contra Covid-19. Segundo uma fonte ligada ao consórcio que está realizando os testes, o médico carioca de 28 anos recebeu um placebo. Ele morreu na última quinta-feira, 15, em decorrência de complicações da doença. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu a notificação apenas na segunda-feira, 19.

O placebo utilizado nos testes da vacina de Oxford não é uma água qualquer, mas, na verdade, a vacina meningocócica ACWY. Neste momento, técnicos do Ministério da Saúde e da Anvisa estão em contato com cientistas da AstraZeneca para entender o que aconteceu com o voluntário.

No Brasil, a vacina tem aval para ser testada em 10.000 pessoas com idades superiores a 18 anos. Até agora, mais de 8.000 pessoas receberam doses relacionadas ao estudo. A vacina deste consórcio é a principal aposta do governo federal para imunizar a população brasileira.

Fonte: Veja