22 de Outubro de 2020 às 17h17

Vacina de Oxford terá componentes da China, afirma presidente da Anvisa

O processo de produção de vacinas contra o novo coronavírus ganhou ainda mais força no noticiário brasileiro nesta semana após o Ministério da Saúde anunciar a compra de doses da Coronavac e, depois, recuar a pedido do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). 

Em entrevista à CNN nesta terça-feira (22), o diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres explicou o processo e deu detalhes como será produzida a vacina de Oxford, que já recebeu recursos do governo federal.

“Vacina de Oxford irá trabalhar com insumos farmacêutico vindo da China. O insumo farmacêutico é a farinha que faz o pão, ele é a base da vacina, um substrato básico. Hoje, no mundo, é quase impossível ter um produto feito 100% em um país, essa noção pertence ao passado.”